Vídeos Quem Somos Contato
Menos secretarias e mais funções
12 de dezembro de 2014 10:56
Menos secretarias e mais funções

Em busca da eficiência administrativa, o governador eleito, deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB), apresentou ontem a estrutura de governo que deverá ser votada pelos deputados estaduais na próxima semana. Redução de secretarias estaduais, criação de novos órgãos, bem como

a redistribuição das ações governamentais foram anunciadas pelo tucano, que espera ter, com a remodelação, a governabilidade necessária para “melhor atendimento às demandas da população”. O projeto de reforma já está nas mãos do atual governador, André Puccinelli (PMDB), que é o responsável pelo encaminhamento da proposta à Assembleia Legislativa. Com o auxílio de Rogério

Caiuby, do Movimento Brasil Competitivo, Reinaldo comunicou a criação de Governadoria Regional, que “é uma responsabilidade criada com a finalidade de aproximar o governo das regiões” e a Casa Militar, que prestará “toda segurança institucional para garantir a segurança do governador e de sua equipe” .

No conjunto estrutural de “governança e gestão”, ficou a Secretaria de Estado da Casa Civil, a Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica e a Controlo daria-Geral do Estado. Esta última não existe na atual administração e, segundo Azambuja, será responsávelpor desempenhar ações de ouvidoria, auditoria e corregedoria estadual. “As pessoas vão saber como o Estado gasta, quanto custa cada coisa. Vamos abrir as contas em tempo real”, destacou.

Ainda nesse setor, a Casa Civil incorporará a Fertel (Fundação Estadual Jornalista Luiz Chagas de Rádio e Televisão Educativa) e a comunicação com a sociedade civil, governo federal e outros Estados. No caso da Secretaria de Governo, Reinaldo resolveu agregar ações desempenhadas pela Secretaria de Articulação dos Municípios e pela Secretaria de Meio Ambiente, do Planejamento, da Ciência e Tecnologia.

 

Na parte de suporte operacional e prestação de serviços às demais estruturas administrativas, ficaram a Procuradoria-Geral do Estado, a Secretaria de Fazenda e a Secretaria de Administração e Desburocratização.

Das três, a novidade está na de Administração, que, no projeto, abrigará atividades da Secretaria de Recursos Humanos. “Dará um reforço nos serviços e mais agilidade”, comentou Azambuja, ao defender o modelo apresentado como o “ideal” no atendimento às políticas públicas defendidas durante a campanha eleitoral.

Outras alterações da organização governamental dizem respeito às secretarias voltadas aos programas que visam à melhoria das condição de vida dos cidadãos, como é o caso da Seprotur nas secretarias de Produção e Agricultura Familiar e a de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação. A Secretaria de Assistência Social também teve mudanças. A pasta agora realizará serviços da Secretaria da Juventude, que, na próxima gestão, será extinguida.

 

 

 


Correio do Estado






Mais Lidas
  1. Edificações nos rios de Três Lagoas (MS) é tema de reunião solicitada pela SEDECT à empresa CTG Brasil
  2. Governo de Mato Grosso do Sul inicia pagamento de auxílio aos profissionais de turismo nesta quarta-feira (15)
  3. Veículos com placa final 9 devem ser licenciados até o dia 30
  4. Base e oposição ao governo querem mudanças no novo Bolsa Família
  5. Brasil investe US$ 1 bilhão em importação de placas solares por ano, diz estudo

Ver