15 de Março de 2019

(67) 3521-0808


Home
Meio Ambiente Cidade Política Geral Poesias Economia Acontecimentos Dr. Sérgio Luís Entretenimento Esporte
Fotos Vídeos Contato 103 Anos de Três Lagoas
×





12/02/2015

Longe dos problemas na Coluna

Pesquisa da Organização Mundial da Saúde aponta que 60 milhões de brasileiros sofrem com dores na coluna, sendo essa a segunda causa de licença no trabalho. “Os problemas da coluna afetam 80%da população em algum momento da vida, e isso é ineren

te ao fato de sermos bípedes”, explica o médico neurocirurgião Vinicius Benites, especialista em doenças da coluna.

O médico, que atua em São Paulo, conversou com o Correio B sobre as doenças da coluna e também sobre uma nova opção de tratamento, a cirurgia minimamente invasiva, que consiste em um tratamento cirúrgico de coluna realizado com pouca agressão ao organismo do paciente, geralmente com pequenos cortes e, em alguns casos, apenas com a introdução de agulhas. Em Campo Grande, a comissária de voo Flaviana Paulino da Silva, 33 anos, é uma das pacientes que passaram pela operação e se livraram das dores e do sofrimento diário.

Ela conviveu, durante anos, com caso de hérnia de disco extrusa. “Eu tinha muita dor na lombar, que irradiava para minha perna esquerda”, relata Flaviana. “Se eu ficasse muito tempo sentada, quando levantava, não conseguia ficar ereta imediatamente, tinha de ficar curvada por um tempo”.

Em março do ano passado, a comissária de voo teve uma crise de dor e recebeu um ultimato do seu médico: precisaria fazer uma cirurgia na coluna. “Ele falou que realmente não havia mais nada a fazer”, recorda.

Após passar por mais de cinco especialistas, Flaviana optou pela cirurgia minimamente invasiva. A operação aconteceu em novembro. Um dia após o procedimento, a paciente já havia recebido alta e conseguia caminhar e subir escadas. “Claro que seguindo as recomendações da fisioterapeuta”, destaca. Esta semana, Fabiana se prepara para retornar ao trabalho. “Eu me arrependo de não ter feito essa operação

antes”, diz.

“No método tradicional de cirurgia de coluna, o paciente passa pela UTI e demora, em média, quatro meses para se recuperar”, enfatiza o médico Vinicius Benites. “Nas técnicas minimamente invasivas, a recuperação é em menos de 30 dias e muitos têm alta hospitalar no mesmo dia”.

A principal diferença está no trauma cirúrgico, muito menor na técnica minimamente invasiva.

REFERÊNCIAS

A técnica artrodese de coluna lombar minimamente invasiva é realizada há apenas três anos no Brasil, mas desde 2002 nos Estados Unidos e na Europa.

O neurocirurgião destaca que é necessário buscar um profissional habilitado para realizar o procedimento. “É interessante conhecer o histórico do médico, assim como referências de outros pacientes que poderão, melhor do que ninguém, esclarecer como foi o tratamento e a recuperação”, aconselha.

A operação pode tratar casos de dores na coluna lombar e cervical, hérnias de disco, doença degenerativa da coluna e até tumores da coluna vertebral. Pessoas de qualquer idade e com complicações de saúde, como pressão alta, diabetes e doenças renais, estão aptas para o procedimento.

“Pelo fato de haver menor traumatismo cirúrgico (perda sanguínea mínima, menor dor pós-cirúrgica e recuperação pós-operatória mais rápida), o que gera menos paciente”, esclarece Vinicius.

O que acontece é que, com o envelhecimento, a coluna sofre maior degeneração e problemas diversos podem surgir. No entanto, é muito comum que pessoas jovens também apresentem doresnas costas, já que a influência da genética individual é preponderante.

RECOMENDAÇÕES

Apesar das dores na coluna serem comuns a partir de certa idade, é importante seguir recomendações médicas para evitar mais complicações e desconfortos.

“A prática de atividades físicas que promovam o fortalecimento da musculatura que sustenta a coluna, ou seja, abdômen e lombar para a col-na lombar, e trapézio e pescoço para a coluna cervical. Isso vale para jovens e idosos”, enfatiza o médico especializado em doenças da coluna.

 

 

Correio do Estado

 

Versão Impressa

×

CAPA

Jornal Impresso



Mais Lidas

    
  1. PSICOLOGIA AEMS: MAIS UM RECONHECIMENTO DO MEC
  2. Longe dos problemas na Coluna
  3. ‘Não desistiremos do Brasil’, diz viúva
  4. Rodada define semifinalistas do Sul-Mato-Grossense sub-19
  5. Desmatamento na Amazônia já afeta o clima. Entrevista com Antonio Donato Nobre, INPE