Simone Tebet apresenta requerimento para que Petrobras informe sobre retomada da Fábrica de Fertilizantes de Três Lagoas

29/04/2015

Simone Tebet apresenta requerimento para que Petrobras informe sobre retomada da Fábrica de Fertilizantes de Três Lagoas

A senadora Simone Tebet (PMDB-MS) apresentou no Senado um requerimento ao Ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, para que, ouvindo o Presidente da Petrobras, informe sobre a retomada das obras da Estatal, especialmente em relação à UFN-III – Unidade de Fertilizantes Nitrogenados, em Três Lagoas, Mato Grosso do Sul. O Ministro tem 30 dias para encaminhar a resposta. O requerimento também foi assinado pelo senador Waldemir Moka (PMDB-MS).

            Os parlamentares sul-mato-grossenses questionam no requerimento se já existe uma nova previsão para a conclusão da UNF-III. Simone destacou a importância da fábrica para o mercado nacional de fertilizantes, para o agronegócio brasileiro e para a economia do País.

“Esta será a maior fábrica de fertilizantes nitrogenados da América Latina”, disse, se declarando otimista com a retomada da obra, paralisada com 82% já concluída.

O requerimento ainda solicita informações sobre outras obras inacabadas da Petrobras. Eles querem saber quais serão os critérios para a seleção dos empreendimentos a serem retomados; quais serão as fontes dos recursos, se da própria Petrobrás ou de empréstimos, se já há cronograma de retomada dos contratos, etc.

Simone lembrou que ela e o senador Moka estiveram na sede da Petrobras, no Rio de Janeiro, no dia 30 de março para tratar do assunto, mas ouviram que era preciso aguardar a divulgação do demonstrativo contábil da Petrobras.

Em audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, nesta terça-feira (28), o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, disse que dentro de 30 ou 40 dias, a estatal apresentará o seu plano de negócios.

“Sabemos que apesar das dificuldades da Petrobras, o Brasil depende da empresa forte para caminhar rumo ao desenvolvimento”, disse Simone Tebet, destacando que a empresa é responsável por 13% do PIB brasileiro.

Raquel Madeira