Ponto de vista: Autonomia da Polícia Federal

07/03/2016

Ponto de vista: Autonomia da Polícia Federal

A Polícia Federal é uma instituição de caráter permanente, pertencente ao Estado, e não aos governos que se sucedem. Não foi criada para satisfazer paladar do poder político, notadamente quando esse gosto provém de estômagos sujos e fétidos.  Não deve ser apropriada e manejada como instrumento de vontade política, sobretudo por ser polícia de Estado. Qualquer tentativa de transformar seus integrantes em súditos do rei deve ser prontamente rechaçada pela sociedade.
Uma de suas relevantes atribuições é a apuração de crimes de corrupção, prática fomentada também pela impunidade. A praga da corrupção consome, todo ano, no Brasil, valor que daria para construir 7.000 hospitais com 100 leitos cada, num total de 700.000 leitos.
Os corruptos que a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a Justiça Federal estão a combater são micróbios destruidores da dignidade humana. A corrupção agrava a pobreza e aumenta as desigualdades entre as pessoas, causando desesperança, doenças, miséria e mortes nas periferias da vida. O corrupto que a Polícia Federal está a combater é um germe patogênico, um dos maiores assassinos de vítimas indefesas. Mata à míngua, de fome, que é um dos meios mais cruéis.
Você vai permitir o enfraquecimento da Polícia Federal e o fortalecimento desses genocidas, assassinos em série?
A corrupção gera descrédito, atravanca o desenvolvimento nacional, mancha a imagem externa do Brasil e afugenta investimentos estrangeiros. Cria gigantesca economia paralela e causa miséria. A pobreza extrema afasta dos miseráveis a possibilidade de acesso aos bens da vida, o que aumenta a criminalidade.
Um aluno de escola pública custa apenas R$ 2.600,00 por ano. Quanto custa um corrupto para os cofres públicos? Por ano, todos os corruptos custam para o seu bolso o equivalente à construção, com mobiliários, de 30.500 escolas, cada uma para 540 alunos.
É essa gente que os policiais federais estão caçando e algemando. É esse tipo de organismo vivo, patogênico, que a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a Justiça Federal estão procurando exterminar com as algemas da lei e o olhar retilíneo da igualdade. Pela desgraça que causa, o corrupto mereceria uma dose dupla de racumin.

Defenda, com veemência, o fortalecimento da Polícia Federal.

http://www.juizodilon.com.br/2016/03/autonomia-da-policia-federal.html

Juiz Federal Odilon de Oliveira