Gasolina pode ficar até R$ 0,41 mais cara no País

21/07/2017

Gasolina pode ficar até R$ 0,41 mais cara no País

O presidente da República, Michel Temer, assinou ontem decreto que praticamente dobra as alíquotas de PIS/Cofins sobre combustíveis no País. Conforme nota divulgada pelo Ministério da Fazenda, com o reajuste do tributo, o governo espera ter uma receita adicional de R$ 10,4 bilhões. Com o aumento da alíquota da gasolina, que vai subir de R$ 0,3816 por litro para R$ 0,7925, a alta corresponde a R$ 0,41 no litro do combustível em todo o Brasil. Reajustando a alíquota da gasolina, é esperado um aumento na arrecadação de R$ 5,191 bilhões. Em proporção semelhante, o litro do diesel também vai ficar mais caro. A alíquota do combustível passou de R$ 0,2418 para R$ 0,4615, o que equivale a R$ 0,2197 a mais na bomba. Com o diesel, a projeção é de um aumento na receita de R$ 3,962 bilhões. O etanol também não escapou do aumento. Sobre o combustível, que tinha alíquota zerada, agora será cobrado R$ 0,19 por litro, o que resultará em um incremento nos cofres públicos da União de R$ 1,152 bilhão. O reajuste do imposto sobre combustíveis foi confirmado na tarde de quarta-feira, mas os índices só foram apresentados ontem. A nota oficial é assinada pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. De acordo com o texto, o aumento das alíquotas do PIS/Cofins sobre o combustível é absolutamente necessário “tendo em vista a preservação do ajuste fiscal e a manutenção da trajetória de recuperação da economia brasileira”, disse. Paralelamente ao aumento do combustível, o governo federal anunciou, do lado das despesas, o contingenciamento de mais R$ 5,9 bilhões dos gastos previstos no Orçamento deste ano. “Esse valor deverá ser compensado por receitas extraordinárias que ocorrerão ainda neste ano”, destacou.

NECESSÁRIA

Pouco antes de viajar para Mendoza, na Argentina, onde acompanhará o presidente Michel Temer, Meirelles declarou à imprensa que a medida será necessária pela queda da arrecadação. “Houve queda da arrecadação, pelo resultado das empresas e também do setor financeiro, que refletiram os prejuízos acumulados nos últimos dois anos que estão sendo amortizados neste ano”, disse. “Existem medidas de ajuste, fazendo com que o mais importante seja preservado”. Ele afirmou que o relatório bimestral de receitas e despesas, no qual o governo detalha sua programação orçamentária, sairá nesta sexta. O ministro declarou ainda que o Brasil crescerá no segundo semestre. “O Brasil de fato vai recuperar seu crescimento. Nossa expectativa é de que haja crescimento no segundo semestre”. Hoje, o Ministério do Planejamento divulgará o Relatório Bimestral de Receitas e Despesas. Publicado a cada dois meses, o documento contém previsões sobre a economia e a programação orçamentária do ano. A nova alíquota vai impactar o preço de combustível nas refinarias, mas o eventual repasse do aumento para o consumidor vai depender de cada posto de gasolina.

Correio do Estado