Botijão tem nova alta, de 8,9%, e valor pode superar R$ 78

05/12/2017

Botijão tem nova alta, de 8,9%, e valor pode superar R$ 78

Preço do gás de cozinha terá aumento a partir de hoje para consumidores em todo o País

A Petrobras elevará os preços do gás liquefeito de petróleo (GLP) envasado pelas distribuidoras em botijões de até 13 kg, o chamado gás de cozinha, em 8,9% a partir de hoje. O reajuste foi motivado principalmente em razão da alta das cotações do produto nos mercados internacionais, segundo nota enviada pela estatal. Caso seja considerado o valor médio do botijão de gás de 13 quilos em Campo Grande, segundo a Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP), que está em R$ 71,88, com o repasse integral o custo pode superar R$ 78. A empresa frisou que reflexos no preço final ao consumidor vão depender de repasses feitos especialmente por distribuidoras e revendedores. O aumento não se aplica ao preço do gás destinado ao uso industrial e comercial. No ano, o preço médio do gás de cozinha no País acumula alta de 17,7%, segundo dados da ANP. O valor médio do botijão para o consumidor saltou de R$ 55,74, na primeira semana de janeiro, para R$ 65,64, na semana encerrada em 2 de dezembro. Pela nova política de preços adotada pela Petrobras desde junho, o preço do gás liquefeito de petróleo (GLP) passou a ser revisado todos os meses. O último reajuste feito pela Petrobras aos preços cobrados das distribuidoras ocorreu há cerca de um mês. Desde junho, foram anunciados seis aumentos e uma redução no preço do gás de cozinha. Preços ao consumidor Em nota, o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) informou que o reajuste oscilará entre 7,3% e 9,9%, de acordo com o polo de suprimento. Pelos cálculos da instituição, o ajuste anunciado deixa o preço praticado pela Petrobras para as embalagens de até 13 quilos aproximadamente 1,3% abaixo do preço de paridade internacional.

Correio do Estado