22 de Fevereiro de 2019

(67) 3521-0808


Home
Meio Ambiente Cidade Política Geral Poesias Economia Acontecimentos Dr. Sérgio Luís Entretenimento Esporte
Fotos Vídeos Contato 103 Anos de Três Lagoas
×





18/01/2018

Secretaria de Saúde reforça estoque de vacina contra febre amarela

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) divulgou nesta terça-feira (16) que existem 80 mil doses da vacina contra febre amarela no estoque estadual, e por isso, apesar de nenhum caso da doença ser confirmado, é recomendável que a população se imunize caso não tenha tomado a vacina recentemente. Segundo informações da Fundação Oswaldo Cruz, a febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida por vetores. Geralmente, quem contrai este vírus não chega a apresentar sintomas ou os mesmos são muito fracos.

As primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso. A maioria dos infectados se recupera bem e adquire imunização permanente contra a febre amarela. De acordo com a gerente técnica de doenças endêmicas da secretaria estadual de Saúde, Livia de Mello Maziero, a questão do abastecimento estadual está sob controle. “As doses são suficientes. Boa parte da população já foi imunizada e todos os municípios que solicitaram foram abastecidos”. A profissional complementa as explicações informando que antes era preciso tomar a vacina a cada dez anos e agora, basta apenas uma dose para ficar imunizado pela vida toda. "A vacinação é recomendada para maiores de 9 meses e menores de 60 anos", complementa.

PREOCUPAÇÃO NACIONAL Nesta terça-feira (16), a Organização Mundial da Saúde (OMS) passou a considerar todo o estado de São Paulo como área de risco de febre amarela. Mato Grosso do Sul faz divisa com o estado a partir de Três Lagoas, Bataguassu, Anaurilândia, Batayporã, Brasilândia, Selvíria e Aparecida do Taboado. Foram confirmadas 21 mortes por febre amarela naquele estado desde janeiro de 2017. Agora, a OMS recomenda a vacina para todos os viajantes que vão para qualquer cidade paulista, inclusive a capital. ESCLARECIMENTO Em 2017, seis macacos foram encontrados mortos em Mato Grosso do Sul, mas os resultados foram negativos para a doença. Os primatas foram encontrados em Corumbá (2), Dourados (1), Ladário (1) e Campo Grande (2),

“É importante que as pessoas saibam que se encontrarem um primata morto não devem mexer no animal e precisam imediatamente procurar a secretaria municipal de Saúde”, explicou a gerente técnica de zoonoses da Secretaria Estadual de Saúde, Stephanie Lins. O último caso registrado de febre amarela em humanos em Mato Grosso do Sul foi em 2015. No entanto, foi um caso “importado”, de um homem do Paraná, que contraiu a doença fora de Mato Grosso do Sul, mas ficou sintomático durante passeio em Bonito e acabou falecendo. Antes dele, houve registro de febre amarela apenas em 2010, no município de Corumbá, no Pantanal.

Correio do Estado

 

Versão Impressa



Mais Lidas

    
  1. Renovação de frota motiva venda de caminhões usados
  2. BANDA KORRERIA 77 É ATRAÇÃO NO ENCERRAMENTO DO MOTO SHOW 2014
  3. ASFALTOS ESTADUAIS NO BOLSÃO CONCLUÍDOS
  4. Centro Cultural recebe obras do Marco para a exposição “Brasil Central”
  5. Fundação de Cultura realiza Oficina de Cerâmica de Bichos do Pantanal em Alcinópolis