Queda no diesel só chega a partir da 2ª quinzena do mês

06/06/2018

Queda no diesel só chega a partir da 2ª quinzena do mês

Lei foi aprovada e preço do litro deve cair até R$ 0,64
Mesmo prestes a ser sancionada pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) lei que diminui a alíquota de ICMS do diesel de 17% para 12% em Mato Grosso do Sul, desconto sobre o preço do combustível nas bombas só deve chegar, de fato, ao consumidor final na segunda quinzena deste mês. A lei foi aprovada ontem na Assembleia Legislativa. A estimativa é de que o imposto reduzido, somado ao desconto já em vigor aplicado pelo governo federal, resulte em queda de, pelo menos, R$ 0,60 no valor por litro, segundo divulgado ontem pelo governador. Já de acordo com números divulgados pelo Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência de Mato Grosso do Sul (Sinpetro-MS), o impacto deve chegar a R$ 0,64 – sendo R$ 0,46 do governo federal e R$ 0,18 resultantes do ICMS reduzido. A projeção de prazo para o diesel ficar mais barato leva em conta a necessidade de regulamentação da medida estadual pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) e ainda a própria regularização do abastecimento do mercado de combustíveis, a qual ainda não aconteceu em sua totalidade no Estado.  De acordo com informações do Sinpetro, distribuidoras de Mato Grosso do Sul ainda têm dificuldade de logística. O mesmo acontece com alguns outros setores. Ontem, após reunião na Assembleia Legislativa, o próprio governo do Estado reconheceu que o abastecimento de algumas cadeias ainda não foi restabelecido, mesmo após o fim da paralisação de 10 dias dos caminhoneiros.  “Primeiro, nós procuramos fazer um acordo, restabelecendo o ir e vir, e isso já aconteceu. Teve os caminhoneiros liberando as rodovias, teve a volta do transporte de mercadorias, [já que a paralisação] ocasionou desabastecimento em alguns segmentos. Com mais 10 dias, se restabelece o pleno ir e vir”, afirmou à imprensa o governador, após entrega à Assembleia Legislativa do projeto de lei que reduz a alíquota do ICMS do diesel. Para o Sinpetro, a expectativa é de que, após sanção pelo governador de lei reduzindo de 17% para 12% o ICMS do diesel, a medida seja encaminhada para regulamentação por meio de Ato Cotepe do Confaz, que é publicado ou dia 16, ou dia 1º de cada mês. Abastecimento Em razão do longo tempo de paralisação, distribuidoras também estão operando com estoques antigos e, em razão das dificuldades de logística, o reajuste de preços com aplicação dos descontos é “gradativo”, reconheceu o gerenteexecutivo do Sinpetro, Edson Lazarotto. De acordo com o representante do sindicato dos postos, a expectativa é de que em até 10 dias todos os estoques estejam dentro da normalidade. Pesquisa realizada anteontem pelo Correio do Estado em 20 postos da região urbana e periférica da Capital mostrou que o preço médio do diesel recuou apenas R$ 0,07 nas bombas dos postos campo-grandenses, em cinco dias de vigência do desconto de R$ 0,46 no combustível aplicado pelo governo federal. No entanto, a tendência é que a queda nos próximos dias seja mais evidente. “Em 21 de maio, o preço médio do diesel comercializado em Campo Grande estava em R$ 3,98 e, nesta semana, já temos postos na região do Anel Rodoviário comercializando o combustível por R$ 3,55”, citou como exemplo. A diferença, neste comparativo, é de R$ 0,43, ou queda de 10,8%, em 15 dias.

Correio do Estado