Isolado na esquerda, Odilon vai lançar chapa pura de deputados

08/06/2018

Isolado na esquerda, Odilon vai lançar chapa pura de deputados

O PDT, que tem como pré-candidato ao governo do Estado o juiz federal aposentado Odilon de Oliveira, está isolado na esquerda em Mato Grosso do Sul. O partido anunciou que lançará chapa pura para deputado estadual, por ter “experiência própria”, e disse que ganha a eleição no voto, sem precisar de coeficiente eleitoral para a Assembleia Legislativa. Não há possibilidade de aliança partidária com o PT, sigla da esquerda, de acordo com o presidente estadual do partido, deputado federal Zeca do PT.  “Sempre estivemos juntos nas eleições, mas este ano o partido resolveu lançar candidatura própria com o juiz Odilon de Oliveira, tomando outro rumo”, disse. Zeca avaliou que o PDT escolheu um candidato de direita. “Ele defende a ditadura, acha que foi um bom negócio para o Brasil. Seria um crime o PT se aliar com o PDT. Pretendemos desmontar a candidatura do Odilon fortalecendo o nosso candidato”, declarou. Os partidos conversaram com relação a alianças, mas segundo Zeca não há interesse do PT. “Nós conversamos, mas não senti vontade”. Presidente regional do PSL, o pré-candidato a deputado estadual Coronel David afirmou não ter sido procurado pelo PDT para fazer alianças, conforme divulgado pelo vereador Odilon Junior. “Não fomos procurados por eles”, admitiu. David contou ainda ter procurado o juiz em julho do ano passado, para ele ser o candidato ao governo pelo PSL. “Nós nos reunimos, ele se encontrou com o Jair Bolsonaro (pré-candidato à Presidência da República), mas Odilon decidiu pelo PDT”, disse. O coronel reconheceu ainda que, em razão de o PDT ser um partido de esquerda, dificilmente faria uma aliança. “Fomos procurados pelo MDB e PSDB no Estado e vamos decidir em julho”, explicou. O presidente do partido de Odilon, João Leite Schmidt, declarou que a sigla lançará chapa pura para deputados estaduais. “Se fizermos alianças com deputados estaduais de outros partidos, eu não dou oportunidade para quem está chegando, pois os votos vão para o deputado do partido coligado”, disse. Schmidt ressaltou que está avaliando ainda alianças para lançar candidatos a deputados federais. O deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) disse que deve lançar de cinco a seis candidatos a deputado estadual e dois para federal. “Se lá na frente entendermos que temos que fazer coligação para estadual, acho que não tem problema algum”, explicou.

Correio do Estado