PSD quer Marcos Trad como governador de MS em 2022

08/08/2018

PSD quer Marcos Trad como governador de MS em 2022

As eleições para o governo de Mato Grosso do Sul mal começaram este ano e o PSD já pensa no prefeito de Campo Grande, Marcos Trad, como candidato a governador nas eleições de 2022. Os dois vereadores do partido da Capital são candidatos a deputados estaduais: Enfermeiro Fritz e Chiquinho Telles. A sigla já se organiza, com quatro anos de antecedência, para poder lançar o nome de Trad como um dos candidatos ao governo estadual. Atualmente, o partido apoia a reeleição de Reinaldo Azambuja (PSDB). De acordo com Chiquinho Telles, a candidatura dos dois vereadores já é para preparar o caminho para Trad. “Nós podemos ter um senador, um deputado federal e três ou quatro deputados estaduais, para pavimentar o caminho para Marquinhos Trad”. O vereador comentou que, independentemente do resultado das eleições deste ano, o partido se fortalece. “O PSD se fortalece com qualquer resultado. O líder do nosso partido é o Marquinhos, nós estamos fazendo campanha pensando em 2022. Estamos pensando lá”, disse. Telles disse ainda não ter nenhum candidato melhor que o atual prefeito para o cargo em quatro anos. “Procurem alguém no horizonte que seja melhor que Marquinhos Trad para 2022 como governador. Se não faz uma projeção de futuro, tem que parar por aqui. Pensamos a curto, médio e longo prazo”, defendeu. O político citou todos os prefeitos da Capital que tentaram o cargo de chefe do Executivo. “Em Campo Grande, todos os prefeitos foram reeleitos, com exceção de [Alcides] Bernal e [Gilmar] Olarte, pois os dois se mataram no meio do caminho, mas todos eles foram reeleitos. André [Puccinelli] foi prefeito e governador.  O Nelsinho [Trad] foi prefeito, candidato a governador, mas não teve êxito. Se procurar por governadores do Estado, naturalmente, todos os ex-prefeitos com reeleição e eleição saíram candidato a governador”, alegou. Prefeito pela primeira vez, Marcos Trad já foi vereador em Campo Grande e deputado estadual na Assembleia Legislativa do Estado.

Correio do Estado