Candidatos aproveitam ausência e criticam PSDB

13/09/2018

Candidatos aproveitam ausência e criticam PSDB

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), candidato à reeleição, não compareceu ao debate realizado por precisar prestar depoimento para a Polícia Federal acerca do desencadeamento da Operação Vostok, que resultou na prisão de 10 pessoas, entre políticos e empresários, e até mesmo do filho do governador, Rodrigo Souza Silva. Com isso, os outros cinco candidatos ao governo de Mato Grosso do Sul criticaram a gestão de Azambuja e consideraram lamentável a operação que envolve a cúpula do atual governo. Entre as opiniões mais irônicas está a do candidato Marcelo Bluma (PV), que fez várias piadas sobre a operação. “A Polícia Federal foi tomar café da manhã com o governador sem ser convidada”, seguida de falas mais ásperas: “Azambuja deveria sair da campanha e do governo, pois está envergonhando o povo sul-mato-grossense”, opinou. O juiz aposentado e candidato do PDT, Odilon de Oliveira, também alfinetou a situação do chefe do Executivo e fez uma analogia da ausência de Azambuja com aulas. “O governador deixou a cadeira vazia porque faltou aula”. Enquanto isso, o deputado estadual Junior Mochi (MDB) foi mais reservado e confirmou que também sabia dos rumores do processo, porém, desconhecia as pessoas envolvidas. “Eu não estou aqui para falar de candidato A ou B. Eu quero ser governador e mudar o que precisa”, destacou. João Alfredo Danieze (PSOL) perguntou a Mochi sobre a opinião dele com relação a operação. “É um fato lamentável, que surpreendeu todos, embora havia rumores em relação a isso desde a delação premiada, e toda a população tomou conhecimento e a qualquer momento a operação acabaria acontecendo”, comentou Mochi. Apesar das alfinetadas dos candidatos a Azambuja e das críticas ao governo atual, os políticos discutiram sobre saúde, educação e reforma da Previdência. A pauta mais falada foi sobre educação e salário dos servidores. Humberto Amaducci (PT) foi agraciado pela plateia e era ovacionado toda vez em que falava sobre o projeto que tem, destinado à classe trabalhadora. 

Correio do Estado