Custo da cesta básica sobe 5,24% na Capital

05/10/2018

Custo da cesta básica sobe 5,24% na Capital

Após três meses consecutivos de queda, cesta básica teve alta de 5,24% em Campo Grande em setembro, representando a maior variação do País entre as 18 capitais pesquisadas no mês passado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O valor monetário do conjunto de alimentos essenciais ficou em R$ 383,77, elevação de R$ 19,11 na comparação com o mês de agosto.  Dos treze produtos pesquisados no mês passado na Capital sul-mato-grossense, 11 registraram altas de preços: tomate (19,71%), banana (12,76%), carne bovina (6,25%), manteiga (5,09%), feijão-carioquinha (2,62%), farinha de trigo (2,13%), pãozinho francês (2,12%), café (2,11%), batata (0,65%), arroz (0,37%) e óleo de soja (0,26%). Os preços de tomate, banana, carne bovina e batata coletados em Campo Grande no mês de setembro foram os que registraram maior alta entre as 18 capitais pesquisadas, conforme o Dieese. Mantiveram a trajetória de retração os preços do leite de caixinha (-1,18%) e do açúcar (-3,21%), registrando, respectivamente, os preços médios de R$ 4,26 para o litro e R$ 3,62, para o pacote de 2 quilos. JORNADA Em relação à jornada de trabalho de quem recebe salário mínimo em Campo Grande, houve aumento no tempo para adquirir os treze itens de alimentação em 4 horas e 25 minutos, quando comparado ao tempo empregado no mês anterior. No total, foram necessárias 88 horas e 30 minutos de trabalho no mês de setembro. Acompanhando as trajetórias de alta, o nível de comprometimento do salário mínimo líquido para aquisição de uma cesta básica na Capital passou de 41,55% em agosto para 43,73% em setembro.

Correio do Estado