19 de Março de 2019

(67) 3521-0808


Home
Meio Ambiente Cidade Política Geral Poesias Economia Acontecimentos Dr. Sérgio Luís Entretenimento Esporte
Fotos Vídeos Contato 103 Anos de Três Lagoas
×





21/12/2018

Fonte Luminosa da Lagoa Maior é reativada e funcionará todas as noites

Em solenidade, Prefeito Angelo Guerreiro disse que a reativação da fonte é um pedido especial de muitos munícipes


A Fonte Luminosa da Lagoa Maior volta a encantar os olhos dos frequentadores do local e de toda a população de Três Lagoas. Em ato solene, o prefeito Angelo Guerreiro reinaugurou o funcionamento da Fonte, na noite de ontem (19).

Ao som da Banda Marcial “Cristo Redentor”, a solenidade foi iniciada com a presença dos vereadores Isabel Cristina, Jorginho do Gás, diretores e secretários municipais. Ao público presente, o prefeito esclareceu que a reativação da Fonte é um pedido antigo dos munícipes.

“Tanto eu, quanto muitos três-lagoenses, já sonhávamos em ver este chafariz funcionando novamente. Foram muitas tratativas e dedicação para coloca-la em funcionamento. Agradeço ao empenho das secretarias e profissionais envolvidos, que se dedicaram em devolver este presente para nossa Cidade”, disse Guerreiro.

A Fonte Luminosa estava desativada há aproximadamente dois anos, desde um período longo de estiagem, que provocou o rebaixamento do leito d’água da Lagoa. Com isso, a parte hidráulica, elétrica e motora acabou sofrendo desgastes, sendo necessário o desligamento total até os reparos necessários.

Somente neste mês, todos os procedimentos necessários foram concluídos para que o chafariz voltasse a funcionar. A fonte irá funcionar todas as noites, das 18h30 às 23h.

 

Diretoria de Comunicação

 

Versão Impressa

×

25 de Abril de 2019 - Nº 532

Jornal Impresso



Mais Lidas

    
  1. PSICOLOGIA AEMS: MAIS UM RECONHECIMENTO DO MEC
  2. Longe dos problemas na Coluna
  3. ‘Não desistiremos do Brasil’, diz viúva
  4. Rodada define semifinalistas do Sul-Mato-Grossense sub-19
  5. Desmatamento na Amazônia já afeta o clima. Entrevista com Antonio Donato Nobre, INPE