20 de Março de 2019

(67) 3521-0808


Home
Meio Ambiente Cidade Política Geral Poesias Economia Acontecimentos Dr. Sérgio Luís Entretenimento Esporte
Fotos Vídeos Contato 103 Anos de Três Lagoas
×





30/05/2019

Mato Grosso do Sul tem 32,2 milhões de hectares em 64 mil imóveis rurais

Mato Grosso do Sul já inseriu no Cadastro Ambiental Rural (CAR) um total de 32,213 milhões de hectares, abrigados em 64,9 mil imóveis rurais. As informações são do Extrato Geral Brasil do CAR, divulgado ontem pelo Serviço Florestal Brasileiro (SFB), vinculado ao Ministério da Agricultura. Os dados contabilizam os cadastros feitos até abril deste ano. No Brasil, a área cadastrada alcançou 517,75 milhões de hectares, distribuídos por 5,82 milhões de imóveis rurais.

As informações sobre a extensão de terras já cadastradas correspondem à soma dos dados registrados no Sistema de Cadastro Ambiental Rural (Sicar), enquanto o número de imóveis cadastrados considera a quantidade de beneficiários dos assentamentos da reforma agrária, bem como de famílias inscritas em territórios de povos e comunidades tradicionais. Ainda conforme o SFB, não estão incluídas nos resultados do extrato as áreas cadastradas em Unidades de Conservação da Natureza de Uso Sustentável, nas quais é admitida a permanência de populações tradicionais.

Quando considerados os resultados regionais, a Região Norte lidera em área cadastrada no sistema, com inserção de 145,15 milhões de hectares na base de dados do CAR, referentes a 750,63 mil imóveis. Em seguida, vem o Centro-Oeste, com 136,49 milhões de hectares cadastrados, pertencentes a 454,2 mil imóveis rurais. Na sequência, está a Região Nordeste, com 84,91 milhões de hectares e 1,98 milhão de imóveis. Em quarto lugar, o Sudeste, com 71,93 milhões de hectares cadastrados de 1,25 milhão de propriedades rurais e, por fim, a Região Sul, com 46,42 milhões de hectares e 1,35 milhão de propriedades.

Embora o prazo de preenchimento do CAR para fins de obtenção dos benefícios ligados à regularização ambiental tenha se encerrado em 31 de dezembro do ano passado, os cadastros sempre continuarão a ser feitos, em função da dinâmica das propriedades rurais do País, como compra, venda e divisão dos imóveis.

Correio do Estado

 

Versão Impressa

×

CAPA

Jornal Impresso



Mais Lidas

    
  1. PSICOLOGIA AEMS: MAIS UM RECONHECIMENTO DO MEC
  2. Longe dos problemas na Coluna
  3. ‘Não desistiremos do Brasil’, diz viúva
  4. Rodada define semifinalistas do Sul-Mato-Grossense sub-19
  5. Desmatamento na Amazônia já afeta o clima. Entrevista com Antonio Donato Nobre, INPE