Vídeos Quem Somos Contato
Robô Perseverance da Nasa pousa em Marte para estudar detalhes do planeta
22 de fevereiro de 2021 11:20
Robô Perseverance da Nasa pousa em Marte para estudar detalhes do planeta

Só neste mês de fevereiro, três missões espaciais passam a estudar detalhes de Marte. Mas nenhuma dessas viagens têm a complexidade do pouso que a Nasa realiza nesta quinta-feira (18). Se tudo der certo, o robô Perseverance (“perseverança”, em português) vai aterrissar no planeta vermelho e começar uma jornada em busca do elemento fundamental para uma futura colônia: a água.

Quando for final de tarde, no horário de Brasília, (previsto para 17h55) dezenas de controladores de voo, aqui na Terra, não terão nada o que fazer além de torcer. A partir do momento em que a sonda mergulhar em direção ao solo, começam os chamados "sete minutos de terror". Esse é o tempo em que a nave vai perder contato com a equipe e sozinha deve executar uma série de manobras coreografadas até que o robô saia da cápsula intacto e no lugar certo.

A Nasa só vai saber se tudo deu certo quando o computador de bordo enviar uma mensagem com o relatório do pouso. Não existe margem para erro. Qualquer falha vai destruir um projeto que custou US$ 2,7 bilhões (cerca de R$ 14,6 bilhões) e 20 anos de planejamento.

O desembarque de um robô em Marte já foi feito antes. O Perseverance é o quinto jipe autônomo que os americanos enviam para o nosso planeta vizinho desde 1997. Só que essa missão não é como as outras.

Primeiro porque o veículo é muito mais sofisticado em comparação com os anteriores. Ele leva um drone que vai fazer imagens aéreas do planeta, mas o mais impressionante nós só vamos ver em 2026, quando um outro veículo, que ainda vai chegar em Marte, irá recolher amostras do solo e vai lançá-las para a órbita. A terceira etapa dessa complexa campanha é a captura da sonda, no espaço, e trazer o material coletado para a Terra. Nem na ficção científica nós vimos algo parecido.

A vontade de desvendar os mistérios da atmosfera de Marte provocou uma verdadeira corrida pelo conhecimento. Cinco países, mais a União Europeia, mantêm algum tipo de equipamento analisando o planeta vermelho. Por trás do esforço e investimento nessa pesquisa está a maior ambição da exploração espacial: encontrar indícios de vida fora da Terra.


CNN






Mais Lidas
  1. Longe dos problemas na Coluna
  2. Trinta anos de poesia
  3. Como um município cresce economicamente?
  4. Desmatamento na Amazônia já afeta o clima. Entrevista com Antonio Donato Nobre, INPE
  5. Menos secretarias e mais funções

Ver