Vídeos Quem Somos Contato
NASA diz que não conseguiria evitar impacto de asteroide com a Terra
06 de maio de 2021 08:36
NASA diz que não conseguiria evitar impacto de asteroide com a Terra
Divulgação
Mesmo com uso de armas nucleares, a previsão do impacto seria de 100%
  • Equipe da NASA foi desafiada em desafio hipotético a evitar impacto de asteroide em rota de colisão com a Terra

  • Mesmo usando armas nucleares, a previsão de impacto seria de 100%, já que não daria tempo de construir uma missão espacial

  • Alternativa seria criação de aeronaves de resposta rápida

Durante a conferência International Academy of Astronautic’s Planetary Defense, uma equipe de pesquisadores da NASA (Agência Espacial Norte-Americana) foi confrontada com um cenário desafiador: evitar o impacto de um asteroide em rota de colisão com a Terra. Apesar dos estudos, a agência chegou à conclusão de que não havia possibilidade alguma de conter o desastre. As informações são da Istoé Dinheiro.

O estudo

Segundo Lindley Johnson, oficial de Defesa Planetária da NASA, a equipe do Centro para Estudos de Objetos Próximos à Terra da agência deu o nome de 2021 PDC ao asteroide hipotético e descreveu o objeto, dividindo informações durante os quatro dias do evento. A probabilidade de colisão era de 1 para 20 algures para outubro de 2021.

Entretanto, mesmo com o uso de armas nucleares, a equipe chegou à conclusão de que a probabilidade de impacto seria de 100%, já que não daria tempo para preparar uma missão espacial com o objetivo de desviar o asteroide ou reduzir o perigo do choque com a Terra. Lindley explicou que hoje, são necessários pelo menos dois anos para essa preparação. 

A alternativa foi a criação de aeronaves de resposta rápida, que possam ser colocadas entrar em órbita apenas alguns dias ou semanas antes do impacto. 


Canaltech






Mais Lidas
  1. Longe dos problemas na Coluna
  2. Trinta anos de poesia
  3. Como um município cresce economicamente?
  4. Desmatamento na Amazônia já afeta o clima. Entrevista com Antonio Donato Nobre, INPE
  5. Menos secretarias e mais funções

Ver